SECTI apresenta programação do Demo Day para reforçar parcerias

09.11.2016

Evento que será realizado em dezembro no Museu do Amanhã terá um painel para propor soluções tecnológicas para demandas nas áreas de saúde, segurança pública e educação

 

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) acaba de dar mais um passo rumo ao Demo Day, o chamado dia da demonstração, quando os empreendedores do Startup Rio apresentam suas ideias aos investidores. Nesta quarta-feira (09/11), na sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), no Centro, a Secti apresentou a programação parcial do evento e a parceria com o Museu do Amanhã, onde será realizado o evento, no dia 19 de dezembro, das 9h às 20h.

 

Durante o encontro, que reuniu investidores interessados em apoiar iniciativas inovadoras de base tecnológica, também foi anunciada a parceria com a própria ACRio e a criação de um novo hub de inovação, iniciativa da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-RJ), que conta com apoio da Secti e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).
 
O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Tutuca, destacou que o Demo Day significa mais do que o dia da demonstração das empresas que participam do Startup Rio, programa desenvolvido pela Secti e apoiado por recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

 

- Será o grande dia da inovação para o Rio de Janeiro. Temos que pensar um Rio maior do que o Rio do petróleo, buscando soluções criativas. Durante o Demo Day, o poder público vai encomendar oito soluções para diferentes setores, espécies de desafios que vamos lançar aos empreendedores presentes. O novo hub de inovação também caminha neste sentido – disse Tutuca.

 

No Demo Day, dez microempresas escolhidas entre as 40 finalistas do Startup Rio terão a oportunidade de apresentar um “pitch”, uma demonstração de cinco minutos sobre o seu negócio. Divididas em blocos de cinco, as apresentações estão previstas para ocorrer de forma intercalada com a sugestão de oito desafios, que vão exigir criatividade e conhecimento dos empreendedores.

 

O poder público vai propor aos presentes a busca de soluções em tecnologia para demandas das áreas de saúde, segurança pública e educação. A plateia estimada do evento é de 500 pessoas, entre investidores, empresários, empreendedores e representantes do poder público.

 

O evento também vai oferecer oportunidade de aprendizado e troca de experiências. Haverá debates, mesas redondas e uma palestra magna, com um especialista em inovação. O Museu do Amanhã, que cedeu o espaço para o evento, abrigará estandes das demais pequenas empresas de base tecnológica participantes do Startup Rio, para que todos tenham chances de fazer negócio. Ao final do evento, a Assespro-RJ prestará homenagem às empresas que mais contribuíram para o desenvolvimento do setor de Tecnologia da Informação e Telecomunicações do Estado do Rio de Janeiro em 2016.

 

A criação do novo hub de inovação, anunciado durante o encontro desta manhã, funcionará na sede da ACRio, com apoio da Secti e do Sebrae. O objetivo da Assespreo-RJ é buscar soluções para demandas de diversos setores da sociedade. Neste primeiro momento, o centro de inovação se concentrará em estudar propostas para a área de saúde.

 

- O diferencial deste hub é que vamos atacar problemas específicos para demandas existentes em diversas áreas. Casando demanda e oferta, a ideia é trabalhar em ondas de atividades, cada uma com duração de dois anos. Vamos começar pela saúde, um setor para o qual o Rio tem vocação. Trata-se de um projeto contínuo para a ignição, tração e aceleração de ideias inovadoras – explicou Marcio Lacs, presidente da Assespro-RJ.

 

Startup Rio - O Demo Day encerra a segunda edição do Startup Rio. Lançado em 2014 com o objetivo de fomentar a cultura do empreendedorismo e transformar o estado um polo de referência em tecnologia, o Startup Rio já contemplou 110 projetos – 60 selecionados para a edição de 2015 e outros 50 inscritos no processo seletivo de 2014.

 

O programa faz parte de um conjunto de ações que tem o objetivo de diversificar a economia fluminense. Para diminuir a dependência do setor de óleo e gás, o governo está investindo em inovação na área de tecnologia da informação (TI), segmento para o qual o Estado do Rio tem vocação natural.

 

Além de hospedar centros de pesquisa e desenvolvimento de empresas como Microsoft, Dell, Cisco, Siemens e muitas outras, o estado conta com 19 universidades, 21 parques tecnológicos, é líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de biodiesel e etanol, responde por 66% das patentes requeridas no Brasil e oferece a maior parte dos cursos de graduação e pós-graduação ligados ao setor de TI no país.

 

Desde 2014, o Startup Rio desenvolveu 48 microempresas de base tecnológica. Atualmente, 11 geram empregos e pagam impostos, representando R$ 2 milhões de faturamento bruto desde 2014. O programa capacitou 300 empreendedores e ofereceu mais de 720 horas de cursos, oficinas e mentorias.

 

 

Please reload

Vídeos...
  • YouTube - Black Circle
  • Facebook Black Round
  • Tumblr Black Round
  • Instagram - Black Circle

© 2019  Gustavo Tutuca                                                                                                                                                                                         TRANSPARÊNCIA

  • Facebook Black Round
  • Google+ Black Round
  • Tumblr Black Round